O dia se espatifa: Setembro 2007

domingo, 30 de setembro de 2007

Vale ver...

Na noite em que fez 12 anos da primeira vez em que o Márcio e eu ficamos juntos pela primeira vez, vimos o lindo show do Nico Nicolaiewsky no Theatro São Pedro. Acabamos de chegar em casa.

Tem outra sessão do espetáculo neste domingo. Talvez ainda haja ingresso. Vale a pena ir.

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Onde o amor está

É lindo o novo disco do Nico Nicolaiewsky, Onde Está o Amor, que eu acabei de ouvir pela primeira vez. Sábado e domingo tem show dele no Theatro São Pedro.

Sente a letra desta música, que eu achei duca...
ser feliz é complicado

ser feliz é complicado
bem mais fácil é sofrer
e ficar parado
sem saber o que fazer

eu não sei o que fazer
vou fazendo mesmo assim
eu não vou ficar esperando
alguém fazer por mim

vou deixar o sol entrar
acabar com a escuridão
abrir a janela do quarto
e gritar para o mundo
eu quero outra chance

alguém vai escutar
alguém que vai sorrir
alguém que como eu
cansou de desistir.

vou abrir meu coração
alguém vai escutar
e então eu vou deixar
o sol entrar...

Tem um tempinho aí?

Como se diz aqui no Sul, ando chuleando por um tempinho para fazer um daqueles posts grandes, contando coisas interessantes, fazendo teses pretensiosas... Aquilo que faz deste blog aquilo que ele (não) é. Mas quem diz que o tempinho pinta?

Mas um dia eu volto. Ah, se volto.

Enquanto isso, vai olhado ali na esquerda as minhas rapidinhas do Twitter...

sábado, 22 de setembro de 2007

Dúvida que assalta

Sempre acho estranho quando, nos telejornais da Globo, as matérias sobre o Iraque, por exemplo, são feitas pelos repórteres de Londres. Em tempos de telex isso até fazia sentido, mas, agora?

Ontem eles bateram um recorde no quesito "podia-ter-feito-de-Bangladesh-mas-preferiu-usar-um-correspondente". A troco de quê, afinal, foi o correspondente de Buenos Aires o encarregado de falar sobre a extradição do ex-presidente do Peru pelo Chile?

Se estou sendo ignorante, por favor, ilustrem-me!

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Nasceu!

Depois de nove meses de trabalho, nasceu meu primeiro filho como "arquiteta de informação". É o novo site do jornal Zero Hora. A diferença deste para todos os outros projetos de que já participei, é que este estou entregando para outros criarem.

Elogios, críticas e sugestões? Nos comentários abaixos ou lá mesmo, no site.

:-)

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Agora vai?

O homem já tinha começado um blog aqui. Mas quem disse que levou adiante? Agora ele tem outro, só dele, com o nome da coluna que assina na Zero Hora – em contagem regressiva para a nova versão, muito mais muderna.

Com vocês, Jogo da Memória, by Márcio Pinheiro. Plis, ajudem a coisa a andar, deixando comentários pressionando a criatura a blogar!

:-)

Sim, eu vi muita TV no domingo

  • Momento "so shoot me, gostei": impagável a dança do siri do Galvão Bueno no Pânico.
  • Momento "quero ser assim na outra vida": o que é a elegância da maravilhosa Helen Mirren? Troféu ponto altíssimo da estranhíssima entrega dos prêmios Emmy – quequeparecia aquele palco?
  • Momento "filme que eu devia ter visto antes, mas acabei vendo sem querer no Telecine e fui dormir mais tarde do que queria": Transamérica é duca!
O melhor: com exceção do filme, as outras coisas foram vistas comigo aproveitando os intervalos para traduzir com o meu indefectível notebook.

Boa semana!

domingo, 16 de setembro de 2007

Blogs, blogs, blogs

Finalmente com um pouco de tempo de ler algo além do noticiário mínimo necessário do dia a dia, cheguei ao blog do Fernando Meirelles pelo da Renata Miloni.

*

E toda vez que faço essas descobertas bacanas, fico com mais gana de esgoelar quem generaliza "os blogs" como sendo algo único com regras e padrões. Cada vez mais sem paciência para esses tipos de miopia.

Sabadão em casa

Eu já tinha falado aqui que sempre que Bar Esperança passa na TV, a gente assiste de novo. E é bom demais. Neste sábado à noite, depois de ver The Good German – não me perguntem, ainda não sei o que achei –, pegamos uma reprise do filme do Hugo Carvana no Canal Brasil. E ficamos acordados até agora revendo pela zilionésima vez.

Mais cedo, no capítulo da novela – lembram que só assisto às do Gilberto Braga? –, o mesmo Carvana e o Tony Ramos deram um show. Fossem eles atores americanos, não estariam fazendo novela, mas filmaços.

Azar, gostei.

*

Aliás, a melhor coisa de a novela estar chegando ao fim, é que vai levar um bom tempo pra eu voltar a ver novela de novo. Pelo menos até ter mais uma "do hômi".

Aliás 2, por que será que as mocinhas das novelas são sempre as personagens mais chatas?

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Da complicação de ser simples

A simplicidade felizmente está com tudo. Daqui a pouco, vai ser mais um daqueles assuntos sobre o qual ninguém mais vai agüentar ouvir falar. Fãzoca que sou do blog dele, resolvi ler o livro.

As Leis da Simplicidade, de John Maeda, é uma delícia de aula. Precisa. Necessária.

Simplesmente leia.

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Azar, o Orkut

Daí que eu entro para um monte de comunidades das quais nunca vou ler sequer um tópico. Tudo porque acho que as comunidades de que uma pessoa faz parte dizem muito sobre ela.

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Diquinha

Apesar de não parecer, eu estive de férias nos últimos oito dias. E hoje nós aproveitamos para conhecer a mostra No Ar - 50 Anos de Vida. Olha, não é porque é da firma, mas tá beeeeem legal.

Pretendo voltar pra ver com mais calma o que deixei passar hoje. E recomendo.

*

Ah, sim. E hoje passei a palestra do Fronteiras. Sei lá. Estou gripada. Deu preguiça. So shoot me.

Nas filiais

Tem post novo meu no Mundo Livro.

Ah, o clima de Porto Alegre

Em que outra cidade alguém seca o teto da casa com rodo e pano por causa da umidade?

sábado, 1 de setembro de 2007

Presentão

Uma das mais remotas lembranças da minha vida é do dia em que ganhei uma Vaquinha Mumu de presente dentro de um hospital. A caixa estava embaixo de uma cama. Deitada na cama, estava a minha mãe.

Hoje faz exatos 30 anos que ganhei a minha Vaquinha Mumu. Foi o o presente que a minha irmã me trouxe quando nasceu :-)

Parabéns, Carol!