O dia se espatifa: Dezembro 2012

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Como eu estava há cinco anos?

Dentre as perguntas cretinas que pessoas fazem em seleções para emprego, uma das minhas preferidas é "onde/como você se imagina daqui a cinco anos?" Sinceramente, a não ser que a criatura esteja contratando um vidente, a resposta não vai ajudar em nada o processo. Porque exceto no caso de obsessivos que planejam TODA a vida (e deste tipo de gente eu prefiro distância), o resto vai inventar alguma coisa bacana para impressionar e era isso.

Daí que hoje eu fiquei curiosidade sobre como/onde eu estava há cinco anos. Com o blog sendo feito há quase 10 anos num formato bem "querido diário", não ficou difícil. Encontrei então este post aqui, que reproduzo abaixo com comentários de hoje em verde:

Por um 2008 supimpa
Sei que o ano ainda não terminou, mas estou indo para a praia hoje à noite, e não sei como será a conexão por lá – ainda não comprei minha placa 3G (sentiram o drama da "placa" 3G? hoje eu saí de uma revenda Vivo com um chip pré-pago pra um modem 3G que de 3G não tem nada, mas mesmo assim a coisa evoluiu...). Portanto, deixo aqui a minha listinha de resoluções. A de 2007 não foi exatamente um sucesso retumbante, mas o ano teve várias surpresas boas, e o saldo acaba como imensamente positivo. Vamos aos planos para 2008:
- Falar menos e ouvir mais (Sigo tentando, sigo tentando... mas acho que estamos em franca evolução. Até porque com a maternidade e trabalhando como tradutora tenho MUITO mais coisas a aprender do que sobre palpitar.)
- Seguir trabalhando em favor da preguiça (Isto é uma determinação para o resto da vida.)
- Seguir tentando ser menos implicante (Eu juro que me esforço, mas o mundo não ajuda...)
- Comprar um carro (Feito! Só tô pagando ainda... ;-))
- Conhecer Brasília (Feito! Agora quero voltar com a Lina.)
- Visitar a Carol na Califórnia (Feito! Agora quero voltar com a Lina e o Márcio, mas para visitar a Ana em LA.)
- Manter uma rotina na academia (HAHAHAHAHAHA. Sério? Por que eu escrevi isto?)
- Dar um jeito de voltar a fazer ioga (Ainda quero. Ainda voltarei. Em 2008 não rolou.)
- Aprender mais (E mais e mais e mais...)
Boa sorte para mim! E um 2008 supimpa para todos vocês ;-)
Pensando agora se vou fazer lista para 2013. Acho que não. Vou seguir seguindo, que tá bom demais. Boa entrada de ano para todos vocês! ;-)

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Bebê automóvel

No instante em que escrevo, a Lina descansa a cabecinha na almofada que sempre deixamos sobre o edredon no qual ela tem passado bastante tempo dos últimos dias, no chão do escritório onde trabalhamos. Descansa da  atividade preferida mais recente, que tem sido girar sobre o próprio eixo depois de se posicionar de bruços, numa clara tentativa de ir para onde a curiosidade - e a vontade - mandam. E eu começo a compreender na pele o sentido da expressão que diz que criamos os filhos para o mundo.

Anos de observação de bebês fofos de pais alheios, e eu sempre acreditei que um bebê começar a engatinhar, caminhar, correr era apenas isso: um aprendizado humano natural. Oito meses e meio depois da minha filha sair de dentro de mim e entrar neste mundo, percebo que o significado por trás dessa mobilidade é muito maior. Ao menos para nós, os envolvidos. A Lina começa a trilhar um caminho próprio. A nós, restar torcer e trabalhar para que seja um caminho florido e que leve a lugares e coisas muito interessantes.

Bom começo de viagem, minha pequena.

sábado, 22 de dezembro de 2012

Tecnologia, sua linda!

Sou "blogueira" (palavra tãããão last season) desde dezembro de 2013 - ano que vem, dez anos de atividade, pois -, e o meu blog já passou por algumas mudanças. Como explico ali à direita no textículo que reproduzo abaixo:
No começo era The day breaks, por causa da música dos Beatles. O endereço era thedaybreaks.blogspot.com e tudo era um verso dos Beatles. Eis que um dia eu cansei, e resolvi não escrever mais em inglês. E então o Riq sugeriu a tradução à Millôr. Gostei. Ficou. Por isso, nada de "O dia nasce", como seria o correto, mas O dia se espatifa. O endereço mudou, mas o nome seguiu o mesmo. Daí que em 2007 mudei o blog para o clicRBS, onde trabalhava. Como a vida dá voltas, voltei para cá. Ainda espatifando um dia depois do outro.
Daí que hoje eu consegui! Importei todos os posts que escrevi desde sempre para este único endereço: www.cassiazanon.blogspot.com.br. Com este, terão sido 1.565 posts desde o começo. O impressionante é que eu provavelmente não tenho 1.565 coisas interessantes para falar nesta vida. Mas a tentação de escrever é sempre grande.

Bem-vindos posts antigos. Sintam-se em casa. A URL não importa muito, o que importa é estarmos todos juntos, em família.

Sem mais.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

O fim do mundo como o conhecíamos

Para mim e para o Márcio Pinheiro, o mundo como existia até então acabou em 12 de abril passado, quando o nosso maior presente entrou na nossa vida.

E a gente aproveita então este zunzunzum de fim de mundo para desejar de coração tudo de bom para todo mundo que merece - e para quem não merece também, porque somos pessoas queridas ;-)


quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Agora vai!

Já reparou como tem pequenos detalhes que nos fazem mudar a forma de ver ou fazer as coisas? Fazia algum tempo que eu tinha desistido de postar coisas no blog. Não apenas pelo inconveniente de que eu estava sob a "barra do clicRBS", mas também por isso, eu me sentia constrangida pela absoluta desimportância e falta de profundidade dos meus escritos. Daí que hoje eu leio a coluna da Leticia Wiershdfhgrervjhdki no Segundo Caderno da Zero Hora e me dou conta de que o que escrevo não está muito longe desse texto e que nem desperdicei árvores ou tinta com eles. Puf! Foi-se embora a minha culpa e o meu medo da minha filha sofrer bullying por causa dos meus posts no futuro.

Taí, agora ninguém mais me segura. Dias vindouros espatifar-se-ão. 

Obrigada, Leticia Wierfdhgfrbtfdshofhgfdhfki!