O dia se espatifa: Dezembro 2008

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Por um 2009 maravilhoso

Que tudo o que foi ensaiado, planejado e sonhado durante 2008 vire a melhor realidade em 2009.

Muita saúde, amor, luz e paz para todos os meus queridos 17, que eu sei, graças a Deus, que são em número bem maior :-)


Postado por Cássia Zanon

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Feliz Natal!

Todos os anos é a mesma coisa. A partir de um certo dia, a música Merry Xmas do John Lennon não sai da minha cabeça, e eu sempre me programo para ter um dia 24 sem nada a fazer além de assar o peru, mas não funciona. O negócio então é assumir que faz parte do ritual natalino a correria de última hora e curtir.

Um Natal supimpa a todos!


Postado por Cássia Zanon

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Filosofia de banca de revista

- Moça, eu quero uma vida simples - peço, entrando na banca, emendando uma piadinha sem graça, para a qual ela gentilmente sorri: - E quem não quer, né?

No caso, a Vida Simples de hoje custou R$ 12. Donde concluí que a simplicidade nem sempre é barata. 

 


Postado por Cássia Zanon

domingo, 21 de dezembro de 2008

Faísca atrasada

Sei que tudo o que tinha a ser dito sobre Wall-E já deve ter sido dito. Mas eu só vi o filme hoje. E foi um dos melhores que vi no ano.

Postado por Cássia Zanon

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Sovaco energizado

Espalhados pela cidade, outdoors com uma modelo de braços levantados falam em "axilas com uma sensação energizante". Na boa, o que exatamente quer dizer isso?

Postado por Cássia Zanon

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Coisa que preste

Um anônimo - porque é sempre um anônimo ou alguém com nome inventado que comenta para xingar e/ou ofender - disse no post ali embaixo para eu parar de falar no Giresse e escrever alguma coisa que preste. O que quase estou interpretando como um elogio, porque talvez queira dizer que às vezes eu escreva algo que preste.

De vez em quando me vejo impelida a redigir um post disclaimer, embora considere que o histórico dos meus escritos por aqui o torne desnecessário. Este é um blog pessoal. Conforme definição do conselho editorial (integrado por mim mesma, de preferência sem interferência do superego), nada do que escrevo aqui precisa ter profundidade ou relevância.

Já faz cinco anos (cinco anos!) que mantenho um blog. Nesses cinco anos, fiz até amizades reais graças ao espatifar dos meus dias no mundo virtual. E este foi o maior lucro que o blogger e agora a central de blogs do clicRBS me deram. Não quero ser conhecida ou reconhecida, não quero compilar posts num livro, não quero virar identificadora de tendências ou trazer informações relevantes aos meus leitores. Minha ambição é tão mais humilde. Quero só me relacionar com gente interessante - i.e., que considere interessante o que eu considero interessante.

Ah, sim, eu também não libero comentários que me ofendam ou ofendam pessoas de quem eu gosto. Discordar pode. Sempre. É nas diferenças que a gente encontra espaço para crescimento. Sou democrata radical, mas aqui quem manda sou eu e quem concorda com esse fato ;-). O comentário que inspirou este post foi publicado porque eu estava mesmo precisando de um gancho para escrever alguma coisa. Mesmo que não prestasse.

:-)


Postado por Cássia Zanon

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Ah, o tempo

Fui obrigada a reproduzir o comentário que o Giresse deixou no post abaixo:

Nada como um dia após o outro! Liguei para o Ibope há poucos minutos e me atendeu uma simpática Secretária.

- Ibope, Fulana de Tal.

- Boa Tarde, gostaria de falar com o Marcos.

- Sim. Quem fala?

- Giresse. G-I-R-E-S-S-E (Sim, eu já falo pausadamente para não ter mal entendido).

- Nossa... mais que nome mais LINDOOOO!

- ... (espanto)

- Alô! Giresse?

- Desculpe, isso soa tão estranho que perdi a fala!


Postado por Cássia Zanon

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

50% de chance de acertar

Um querido colega do trabalho se chama Giresse. É "o" Giresse. Do sexo masculino. Daí que o Giresse acaba de viver um momento que, segundo ele, valia post aqui. Concordei.

Toca o telefone.

- Boa tarde, a senhora Giresse?

- Giresse é um homem, e sou eu.

- Ah. Então, eu estou ligando do Banco do Brasil. Gostaria de estar sabendo do seu interesse em estar adquirindo um novo cartão de crédito.

- ...

- Senhor Giresse?

- Meu amigo, depois de começar o telefonema me chamando de mulher, tu ainda acha que eu vou querer um cartão de crédito?

- tu-tu-tu-tu.

Pobre do sujeito. Ele tinha 50% de chance de acertar o sexo do proprietário do nome. Errou. 


Postado por Cássia Zanon

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

É Natal?

Há três anos, eu comentei na versão 1.0 deste blog o meu estranhamento sobre como o Natal começava a ser comemorado cada vez mais cedo. Pois ontem eu senti um dos efeitos perversos disso na pele - ou melhor, na árvore de Natal.

Na minha família, o dia de enfeitar a casa sempre foi o dia 7 de dezembro, dia do aniversário do meu pai - que ontem teria feito 61 anos por estas bandas. Daí que ontem fui ao supermercado atrás de enfeites e bolinhas para a tuia holandesa que tenho comprado todos os anos, desde 2006.

Inspirada pelo que tinha visto há três semanas, achei que ia me fartar comprando. Que nada! Faltando ainda 17 dias para a véspera, tive de me contentar com o que havia sobrado. Mesmo assim, a maison Zanon-Pinheiro já está devidamente imersa no espírito natalino.

:-)


Postado por Cássia Zanon

Fim de ano

Pô, custava dividir todas as comemorações de fim de ano durante o ano?


Postado por Cássia Zanon

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Campeã de Tudo


Só aqui no clic tem 54 blogs que falam de esportes, a maioria, sobre futebol. Além disso, tem o site de Esportes e, desde a madrugada de hoje, o especial Inter Campeão Sul-Americana. Motivos mais do que suficientes para eu não tratar da vitória de ontem neste humilde. Mas daí eu li este post sobre "turismo religioso para colorados"do Ricardo Freire e me senti na obrigação de compartilhá-lo com vocês, meus 17 - dos quais, imagino, pelo menos 10 torçam para o Inter, não? ;-)


Postado por Cássia Zanon

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Livros de viagem

Ao contrário do que o título possa levar a crer, este não é um post sobre livros de turismo, com dicas preciosas de viagem, como o 100 praias que valem a viagem  ou o 100 dicas para viajar melhor, do meu guru-viajante Ricardo Freire. Este é um post sobre livros que resultam das minhas viagens. 

Porque desde que me conheço por gente é assim. Sempre volto de uma viagem com pelo menos um livro novo dentro da mala - ou na bagagem de mão. Talvez tenha a ver com o fato de que quando viajamos estamos sempre abertos a descobrir coisas novas. Então, por que isso não incluiria autores novos? Ainda mais que livrarias costumam funcionar para mim como museus funcionam para tantas outras gentes.

Foi das minhas duas viagens deste ano - a primeira para a Califórnia, em maio, e a segunda para Portugal-Espanha-França, em julho - que saíram quatro das minhas últimas leituras. Queria ter falado sobre elas durante a Feira do Livro, mas o ritmo de trabalho da ocasião não permitiu.

The Downhill Lie

É o mais recente livro do divertidíssimo Carl Hiaasen, de quem eu já havia lido praticamente todos os romances publicados em português pela Cia. das Letras. O assunto é meio árido para quem, como eu, não nutre o menor interesse pelo golfe, mas o texto dele, como sempre, é saborosíssimo e capaz de arrancar gargalhadas em vários momentos.

Por que é livro de viagem: comprei no meu primeiro dia em solo americano, pouco antes de pegar o autógrafo do autor, que, além de escrever como escreve, é um querido.

 

Português Suave

Da autora portuguesa Margarida Rebelo Pinto, eu já havia lido o Alma de Pássaro</

Postado por Cássia Zanon

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Dúvida que assalta

Ainda a maldita reforma... como é que meus futuros filhos vão saber que a pronúncia correta não é kinkênio e joacuim?


Postado por Cássia Zanon