O dia se espatifa: Agosto 2005

quarta-feira, 31 de agosto de 2005

P.S.

O Flávio escreveu Memórias do Esquecimento e O Dia em que Getúlio matou Allende usando só o indicador direito e dois dedos da mão esquerda. É assim que ele digita, quase catando milho. Eu vi. Ninguém me contou.

Donde se conclui que a agilidade no teclado não vai me ajudar nadica de nada se eu um dia tiver a coragem de escrever meu próprio livro, em vez de só ficar reescrevendo os dos outros.

Haja...

O Lula, cujo autismo o mestre Flávio Tavares criticou ontem, quer que a gente tenha paciência.



Então tá. Agora a gente tem que ter paciência.



Sorte dele que eu morro de medo do Severino.

segunda-feira, 29 de agosto de 2005

Viva!

O Homem de Leandertal chegou à blogosfera. Tá ficando animada a coisa.

Hotel Ruanda

Queria ter comentado o filme no dia em que vi, mas acabei me passando. Hoje, lendo o Marcelo, fiz um comentário que seria mais ou menos o post que eu teria a escrever. Ei-lo:

Eu chorei do começo ao fim. E ainda agora tenho vontade de chorar quando lembro do que o personagem do Joaquin Phoenix disse sobre a reação das pessoas ao verem o massacre no noticiário em horário nobre. "Elas dirão 'que horror' e voltarão a jantar."

No dia em que vi Hotel Ruanda, quase não consegui comer depois.

Este "quase" é que me mata.

Mas, pensando bem, não é este "quase" que nos faz continuar vivendo?

domingo, 28 de agosto de 2005

Túnel do tempo

Estas duas fotos estão separadas por quase 25 anos, mas as duas não seguimos muito fofas?

quinta-feira, 25 de agosto de 2005

Adendo

Como eu tenho um micro paleolítico, com Windows 98, não pude rodar o Google Talk em casa. Sin problemas. Baixei o Gaim e tô achando o bicho.

quarta-feira, 24 de agosto de 2005

Que venha o Googlezon

Se todas os monopólios fosse gratuitos e competentes como o Google, o mundo poderia ser um lugar melhor. Estou testando desde hoje à tarde o novo brinquedinho deles. E tô curtindo muito.

Surto

O que explica que uma criatura que trabalhou até as 5h, foi dormir às 7h, acordou às 11h, trabalhou de novo das 14h às 21h, chegue em casa às 21h30, jante às 22h e fique das 23h à 1h fazendo faxina em dois teclados e num mouse com chave de fenda, aspirador, perfex, álcool e uma faca de ponta?

(Sim, os teclados ficaram uma maravilha, com uns 200 gramas a menos de poeira, cílios, pêlos e partículas nojentas não identificadas que deviam estar se acumulando desde 1996, oriundas dos bairros de Petrópolis, Centro e Ipanema – em Porto Alegre – e Brooklin e Vila Madalena – em São Paulo.)

terça-feira, 23 de agosto de 2005

Ós!

  • Acabei o livro

  • Decidi manter o nome do blog, por mais estranho que ele seja

  • Resolvi tirar a lista de livros que estão na cabeceira, porque são muitos mais do que os que estavam ali e aquilo estava me deixando mais agoniada do que eu já fico diante do tamanho da pilha à minha espera
Valeu pelas manifestações mesmo durante o meu silêncio.

Ah, sim, eu ainda não dormi. E tenho compromisso às 10h.

Sobreviverei.

sexta-feira, 19 de agosto de 2005

* suspiro *

Ela tá aqui, me olhando, a tradução que eu fiz do Breakfast of Champions e que "só" preciso revisar pra entregar pra editora de uma vez. Só que revisar é a parte mais complicada do meu processo de trabalho. É quando volto atrás em várias coisas pra revoltar atrás de novo, ou então sair em busca de uma outra solução completamente diferente.

Acho que estou com bloqueio.

Palavras de apoio, por favor?

quarta-feira, 17 de agosto de 2005

Colaborem

Tô a fim de mudar o nome do blog de novo. Pensei em Roda-viva. Que tal? Opiniões nos comentários abaixo...
Tem dias que a gente se sente
Como quem partiu ou morreu
A gente estancou de repente
Ou foi o mundo então que cresceu
A gente quer ter voz ativa
No nosso destino mandar
Mas eis que chega a roda-viva
E carrega o destino pra lá
Roda mundo, roda-gigante
Roda-moinho, roda pião
O tempo rodou num instante
Nas voltas do meu coração

A gente vai contra a corrente
Até não poder resistir
Na volta do barco é que sente
O quanto deixou de cumprir
Faz tempo que a gente cultiva
A mais linda roseira que há
Mas eis que chega a roda-viva
E carrega a roseira pra lá

A roda da saia, a mulata
Não quer mais rodar, não senhor
Não posso fazer serenata
A roda de samba acabou
A gente toma a iniciativa
Viola na rua, a cantar
Mas eis que chega a roda-viva
E carrega a viola pra lá

O samba, a viola, a roseira
Um dia a fogueira queimou
Foi tudo ilusão passageira
Que a brisa primeira levou
No peito a saudade cativa
Faz força pro tempo parar
Mas eis que chega a roda-viva
E carrega a saudade pra lá

Ajuda

Vocês viram algum desses bichinhos por aí?

Serviço de utilidade pública

A mulher sabe muito de internet e outro tanto de Barcelona , onde morou um bom tempo. Agora ela criou este blog pra ajudar os brasileiros que vão ou querem ir pra lá. Vale os cliques.

segunda-feira, 15 de agosto de 2005

Momento lindo

Pelé e Maradona trocando cabeceios. E eu vi. Ao vivo.

Azar, emocionei.

Meeeeeedo!

Muito, muito, muito medo!

Blog novo no pedaço

A Denise tá na blogosfera.

ATENÇÃO!

O BOTÃO "INICIAR" DO WINDOWS COMEÇARÁ A SER PAGO A PARTIR DE 31 DE FEVEREIRO DE 2006!!!

NÓS TEMOS QUE FAZER ALGO...

Por isso, mande para 25.999 pessoas da sua lista essa mensagem, pelo menos 10 vezes para garantir...

Feito isso, o Botão Iniciar vai ficar verde, brilhar e começar a dançar pelo seu Desktop ao som de "Festa no Apê". E além de não pagar pelo uso do botão Iniciar, você ainda receberá 50 dólares da Microsoft para cada vez que der click duplo no seu mouse.

É sério! Eu já fiz isso...
Faça você também a sua parte!!!

Obrigado!!!

Gracias pela colaboração, Gigio ;-)

domingo, 14 de agosto de 2005

Conclusão

Nada como um fim de semana de trabalho tranqüilo, boas comidas, risadas, amigos e um passeio bate-volta à Serra para botar as coisas de novo em perspectiva.

Que venha uma semana supimpa pra todos nós :-)

Recado pessoal

Pai, fica brabo não com a falta de um post exclusivo. Tu sabe que passei a semana toda pensando em ti.

quinta-feira, 11 de agosto de 2005

...

Será que se a gente ficar bem paradinho, bem quietinho, essa coisa toda passa e vai embora, some, desaparece?

quarta-feira, 10 de agosto de 2005

Posso estar sendo besta

Mas onde estavam essas pessoas ditas politizadas que hoje se espantam com as coisas mais óbvias do processo político? E não, não estou falando da corrupção, que isso ainda me escandaliza. Estou me referindo à boçalidade que, assim como na sociedade, grassa nos Legislativos e Executivos (por vezes nos Judiciários) do mundo afora?

Se a minha vida fosse um filme...

... ele seria dirigido pelo

Woody Allen

Your film will be 69% romantic, 41% comedy, 26% complex plot, and a $ 38 million budget.
Be prepared to have your life story shot entirely in New York City – though lately Woody's been loving shooting in London. Also, your music soundtrack is all jazz from before 1949. Filmography: Annie Hall, Manhattan, Stardust Memories, Everyone Says I Love You, etc. Woody has released one film per year consistently for the past 35 years. Regardless of his personal life, his films are American classics.
Faça o teste: The Director Who Films Your Life Test

terça-feira, 9 de agosto de 2005

Longe de mim

Vocês já repararam que toda vez que um nobre parlamentar e/ou uma excelsa testemunha das CPIs quer esculhambar o interlocutor a declaração começa do mesmo jeito?

– Com todo respeito...

segunda-feira, 8 de agosto de 2005

O McDonald's respondeu

O assunto, ridículo, era "McDonald's tem uma mensagem para você". (?!?)
Prezada Sra. Cássia,

Muito obrigado por entrar em contato conosco. Clientes como a senhora são responsáveis pelo sucesso do McDonald's, pois exigem produtos e serviços à altura de sua expectativa.

Pedimos desculpas se o atendimento recebido lhe gerou este tipo de insatisfação e destacamos que sua experiência e seus comentários foram levados ao conhecimento de departamentos responsáveis dentro da empresa.

Providências já estão sendo tomadas para que fatos como os relatados não voltem a acontecer. Esteja certa de que em qualquer situação, a empresa sempre atuará com a responsabilidade de jamais abrir mão do padrão de qualidade que a caracteriza.

Agradecemos mais uma vez pela sua mensagem e esperamos continuar contando com a sua preferência. Nossa maior premiação é ter clientes empenhados em nos ajudar a fortalecer nossa marca.

Além de nos ajudar a identificar eventuais falhas e reforçar nossos procedimentos, seus comentários nos dão a chance de trabalhar ainda mais e melhor para que clientes especiais como a senhora continuem sempre fiéis.

Atenciosamente,

Departamento de Relacionamento com o Cliente
McDonald's Brasil
Obrigado por fazer parte dessa história.
A carta teria sido identiquíssima se eu tivesse escrito dizendo que achei um dedo humano dentro de um saquinho de batatas fritas...

Juro, que vontade de responder com um desaforo só pra ver qual é a tréplica padrão!

domingo, 7 de agosto de 2005

Desvario

O ônibus, de dentro, lembra uma gaiola. Ou uma cela. As pessoas parecem tristes. Ninguém lê. Ninguém parece prestar atenção na paisagem. Estão absortos, ensimesmados. Os cobradores ainda existem. Os bancos são duros. A distinção de classe é palpável. Os ônibus foram feitos para os pobres. São eles que devem passar, diariamente, duas, três, até quatro horas encafuados.
Este trecho está no eloqüente artigo no NoMínimo do Mario Sergio Conti, que acabou de chegar de uma temporada de três anos em Paris. Há mais de um ano, falei um pouco disso que me perturbou tanto lá. A tristeza no olhar das pessoas sempre foi o que mais me impressionou na cidade. Inclusive no olhar dos remediados, dos que andam de carro e mesmo dos que freqüentam(avam) a Daslu.

Acredito que morar em São Paulo exija, acima de tudo, persistência e capacidade de abstração. Talvez um dia eu chegue lá...

Ou não.

Azedume

Mas o que o Anthony Minghella tem contra fazer um filme com final feliz? Eu não vi o Paciente Inglês, mas não sei se estou a fim de gastar maos trocentos minutos da minha vida com uma coisa deprimente como esse Cold Mountain, em que todo mundo tá feio, inclusive o Jude Law (!), A Nicole Kidman e a Bridg..., ops, a Renée Zellweger?

Pode até ser azedume meu, mas depois de eu assistir a mais de duas horas de um filme pesado e cheio de gente enfeada, eu não merecia um final feliz? Hein?

Se eu quisesse coisa deprimente, ia assistir filme iraniano, bolas!

E se você, caro leitor, não viu o filme e ficou chateado comigo, mis perdões. Pode cancelar a assinatura.

sexta-feira, 5 de agosto de 2005

ARGH!

Carta que enviei ao McDonald's através do site hoje à noite:
Estou me sentindo lesada pelo atendimento feito há pouco pela McEntrega. Eu e outros colegas de trabalho fizemos um pedido em conjunto. Optei pelo McLanche Feliz, que é o que costumo pedir nas lojas quando não quero comer muito. Qual não foi o meu espanto ao descobrir que o meu pedido era o mais caro de todos! Como assim??? Argumentei com a minha colega que fez o pedido que eu não queria o bonequinho ou o que quer quer fosse que encarecesse o lanche, só que ninguém perguntou a ela se ela queria ou não o brinde.

Só hoje descobri que, quando peço o McLanche Feliz nas lojas e respondo que não quero o boneco, o que eu recebo NÃO É o McLanche Feliz, mas sim os itens separados, que acabam saindo mais barato do que a "promoção". Pelo amor de Deus, que tipo de promoção é esta que é mais cara do que o produto normal? Que tipo de atendimento é este que não esclarece a opção ao cliente?

Pior: já que veio o brinde, eu bem que poderia ter escolhido, não? Não! O "brinde" (pelo qual paguei aproximadamente R$ 2) foi compulsório e sem direito a escolha.

Espero que a empresa tenha alguma explicação. Liguei para o 0800, mas a resposta (mecânica e bem ensaiada) que recebi da atendente (cujo nome não perguntei, infelizmente) foi a de que está "claro e implícito" que o McLanche Feliz vem com o "brinde". Ora, ou está claro, ou está implícito.

Claro que a minha indignação não se deve aos 2 reais, mas ao fato de que estou me sentindo lesada e enganada por uma empresa da qual sou cliente há mais de 25 anos! Claro que me irrita o fato de que sempre que eu peço um Big Mac o atendente tenta me empurrar "o número 1" ou "acompanha Sundae de sobremesa", mas isso já faz parte do folclore da lanchonete. Agora, impor um "brinde" me pareceu de um desrespeito sem precedentes.

Espero receber uma resposta, pois não gostaria de deixar de freqüentar a rede McDonald's.

Atenciosamente,

Cássia Zanon

Postezinho fofo de sexta

Momento coisa querida dos cuscos aqui de casa.

quinta-feira, 4 de agosto de 2005

Da série frustrações do cotidiano

A pessoa se esfalfa e se esforça e se estribucha pra fazer um trabalho bacana, redondinho, fechadinho, e menos de uma hora depois ele está todo mudado de novo. Ai, ai, às vezes eu me encho dessa vida de jornalista online. Nem pra embrulhar peixe no dia seguinte este trabalho parece servir...

E a tal deprê pocket tá quase ganhando orelha. Daqui a pouco vira hard cover.

Humpf!

quarta-feira, 3 de agosto de 2005

Da série coisas que fogem à minha compreensão

Recebi a seguinte mensagem por e-mail duas vezes hoje (com todos os erros de digitação e ortografia):

O ORKUT VAI SER PAGO...APARTIR DE OUTUBRO!!!
NÓS TEMOS QUE FAZER ALGO...
Por isso mande para 25 pessoas da sua lista essa menssagem...e irá
aparcecer um
orkut atualizado na sua tela!!!
Eu ja fiz isso...faça você também a sua parte!!!
Obrigado!!!

Agora eu pergunto:

  1. Por que as pessoas acreditam nessas coisas?
  2. E daí se for mesmo verdade?
  3. Por que eu ainda estou no orkut?

segunda-feira, 1 de agosto de 2005

Maria não vai com as outras

Não sei se é por causa dos comentários da Cacá ou se realmente o livro é chato. O fato é que eu fiquei duas noites remando para continuar lendo Bartleby e companhia, mas acabei suspendendo a empreitada de novo.

Primeiro dei de mão no Como vivem os mortos do Will Self, mas o clima me pareceu meio pesado para o meu atual estado de espírito. Acabei optando pelo quarto Hiaasen da minha pilha de Hiaasen ainda não lidos: Chuvas e trovoadas. Agora está resolvido.

E fica combinado assim: ali na esquerda ficam listados os livros que eu comecei e pretendo terminar em breve. Só saem depois de abandonados ou lidos. Comentários e/ou dicas? Manda ver no "Diga lá" aqui embaixo ou por e-mail.