O dia se espatifa: Junho 2004

quarta-feira, 30 de junho de 2004

HAHAHAHAHA

A Fernanda, que é uma das minhas amigas virtuais (virtual pelo menos por enquanto), escreveu neste post uma das coisas mais engraçadas que eu li nos últimos tempos... Vale o clique.

terça-feira, 29 de junho de 2004

BLOQUEIO

Ando com bloqueio de fazer coisas diferentes. Sei que é uma fase, que vai passar, mas não consigo deixar de ficar um pouco ansiosa com isso. Estou naquele ponto de fervura em que já deu para baixar o fogo sem perder temperatura. É uma coisa tranqüila e com movimento constante e é confortável. Não estou reclamando nem vejo necessidade para que isso mude. Só queria ter um pouco mais de algumas coisas: mais tempo para usar com as pessoas de quem eu gosto, mais dinheiro para poder trabalhar um pouco menos, mais pique para ler os livros que se empilham na minha cabeceira e ver todos os filmes que eu ainda não vi. Só um registro. Porque esse blog anda mais morno do que a minha rotina :-)

sábado, 26 de junho de 2004

SE DEPENDESSE DE MIM...

... o Marcos tinha fugido com os 100 mil dólares, o Daniel ficava com a namorada do filho e as imagens finais não seriam daquele povo feioso do backstage da novela. No mais, Gilberto Braga RULES! Azar, gostei.

CONSPIRAÇÃO FAVORÁVEL

Um almoço adiado com um velho amigo que eu não via fazia um tempão virou um almoço muito bacana com seis velhos amigos que eu não via fazia um tempão. Belo fecho para uma semana que passou bem chatinha.

quinta-feira, 24 de junho de 2004

TÉDIO

Eis que nada aconteceu de interessante na minha vida nesta semana. Passei indo a médicos que vivia adiando. Descobri que emagreci quase um quilo desde o mês passado, ganhei mais um grau de astigmatismo no olho esquerdo e jurei de novo que vou passar fio dental três vezes por dia (eu faço essa promessa todos os anos depois de fazer a limpeza nos dentes). *Suspiro*.

segunda-feira, 21 de junho de 2004

FUNDO DO FUNDO DO FUNDO

Não postei antes porque não deu. Primeiro porque estava doente. Depois porque não podia (lá no trabalho é proibido, lembra?). Agora eu posso dizer: clica aqui sem medo para ler o melhor texto escrito sobre os 60 anos do nosso gênio maior. E não é favoritismo, não.

DÚVIDA MILENAR

Eu sei que já tem até explicação científica pra isso, mas eu PRECISO fazer essa pergunta, nem que seja retórica: por que homem é tão mais fraco do que mulher pra doença? Hein?

sábado, 19 de junho de 2004

GRIBE

Esde blog esdá barado bor bodibos de força baior. Boltará a ser adualidado quando eu belhorar.

terça-feira, 15 de junho de 2004

COISAS BOAS

Hoje à tarde o meu computador do trabalho caiu, e eu aproveitei para fazer umas ligações pessoais enquanto ele reiniciava. Foi o máximo. Em menos de cinco minutos recebi três boas notícias:



- Minha prima Manuela vai voltar a trabalhar na Varig, de onde nunca queria ter saído e agora vai poder visitar a família aqui em Porto Alegre e na Bahia.



- Uma ex-colega de trabalho (e agora amiga) está com boas perspectivas profissionais depois de um tempo de desesperança total.



- A Lara, grande amiga da minha irmã (e minha também) passou num curso superdisputado de restauração em Salvador. Em primeiro lugar!



Sabe aquelas coisas que deixam o nosso dia mais legal?

12 - 13 - 14 - 31 - 50 - 51

Quem é que em sã consciência apostaria nesses números na Mega Sena? Eu nunca escolho os números quando jogo, mas a partir de agora vou jogar sempre nos mesmos. Quem não arrisca...

domingo, 13 de junho de 2004

BELA TROCA

Vendi a inútil esteira que comprei em São Paulo (eu sei, eu sei, todo mundo me avisou) e transformei a merreca que consegui por ela num maravilhoso almoço de dia dos namorados com creme de legumes, linguado grelhado com risoto de camarão com açafrão e strudel de maçã no Orquestra. Muuuuuuito melhor!

quinta-feira, 10 de junho de 2004

ASSIM EU CHORO

Este testemunho que eu recebi hoje vai me proibir de dizer que o Orkut não serve pra nada. Sabe as cartas e bilhetes recebidos e enviados de e para amigos e namorados de tempos atrás do post anterior? Alguns muitos eram do meu amigão que escreveu o que segue:



Tá legal, eu tava me segurando para poupar a minha querida irmã/amiga "Cá" dessa cena de filme "B". Mas eu não consigo, perdão Cá, lá vai: outro dia, por conta da minha mania de chegar cedo aos lugares, fui ao cinema MUITO antes da sessão e comprei um pocket book pra passar o tempo. O livrinho (ótimo aliás) era Bartlebly, o escriturário. Qual não foi a minha surpresa ao abri-lo e ver ali, de cara, o nome da tradutora? Siiiiiimmm, ela mesma, a minha parceria de vários cinemas! Fiquei tão emocionado (juro) que quando cheguei em casa arranquei do outro livro para este um "marcador" que ganhei dela no meu aniversário em 95 (aposto que nem ela se lembra disso) e que (agora vem o melhor, preparem-se para as lágrimas) está escrito assim: "Amigos são aqueles que mesmo longe um do outro não se separam jamais." Pois é... é piegas, mas É VERDADE! Perdão minha querida amigona, mas é o meu jeito de dizer que eu também te adoro muito.



É ou não é de chorar? Te adoro muito, Giggio!

quarta-feira, 9 de junho de 2004

PAPELADA

Os livros do Márcio estão sempre superorganizados. Classificados por estilo e autor, em ordem alfabética de sobrenome. São aproximadamente 2 mil volumes que ele sabe sempre onde estão. Se empresta algum deles, lembra sempre para quem foi e quando.



Os meus livros estão uma zona. Todos amontoados debaixo da escada, sem qualquer tipo de organização. Parte deles ainda está na minha mãe, outros tantos estão emprestados não sei para quem nem sei desde quando. Sempre digo que não vou emprestar mais livros, mas não adianta.



O Flávio Tavares – a primeira pessoa que entrevistei na vida – lançou um livro maravilhoso, O Dia em que Getúlio Matou Allende, que comecei a ler com avidez nesta semana. Só que antes de começá-lo, eu queria reler o igualmente perfeito Memórias do Esquecimento. E quem diz que eu acho o dito lá em casa?



Enfim...



Revirando meus alfarrábios em busca do livro (que estou convencida de ter emprestado para alguém, falta só lembrar quem), encontrei preciosidades da Cássia que fui há 10, 15, 20 anos. Cartas de e para futuros ex-namorados, amigas e amigos, pedaços de diários começados e logo abandonados. Lendo tudo aquilo, fiquei espantada com a minha coerência. Espantada para o bem e para o mal.



As maluquices de quem fui aos 10 anos estão todas aqui. Modificadas, é verdade, mas ainda são exatamente as mesmas. A pessoa que eu prometia ser foi a pessoa em quem me transformei mesmo tendo "largado para Deus". Mais uma vez, para o bem e para o mal.



Moral da história: eu preciso arrumar melhor os meus livros.

terça-feira, 8 de junho de 2004

sábado, 5 de junho de 2004

PELO MUNDO

Desde 7 de maio, o site teve acessos do Brasil (claro), dos Estados Unidos (imagino que do Daniel enquanto estava lá e da Adriana M.), da Bélgica (da Tica) e da Espanha (da Lídia). Beleza. Todos locais onde conheço essas gentes bacanas. Mas quem explica os cliques da França, de Portugal, da Austrália e da Inglaterra? Manifestem-se, amigos :-)

MINHA NOVA PAIXÃO

Meu lado nerd está ensandecido pelo gmail. É o melhor e-mail online que eu já usei. Aliás, é o melhor e-mail, ponto. Nenhum programa que experimentei (Outlook, Netscape, Eudora) também chega aos pés dele. É sério. Tô gostando tanto que até me presto a fazer essa propaganda de graça...

quinta-feira, 3 de junho de 2004

ALÉM DE BREGA...

Eu nunca, nunca gostei das coisas da Louis Vuitton. E nem era só pelo fato de que é tudo absurdamente caro e fora do meu orçamento. Sempre achei cafona mesmo. Daquelas coisas que parecem falsificadas mesmo quando legítimas (o mesmo valendo pras bolsas Victor Hugo e Chanel). Pois esta nota no Blue Bus me deu ainda mais argumentos contra esse monte de LV LV LV sujando um couro que até poderia ser bonito.

quarta-feira, 2 de junho de 2004

AGORA NÃO DÁ

Coisas por que jornalistas têm de passar. Hoje uma ex-colega teve um diálogo surreal por telefone com alguém da defesa civil de Maceió por causa dos mortos nas chuvas e tentando pegar informações. Do outro lado da linha, o "encarregado" pediu para ela ligar na sexta-feira que então eles teriam informações mais precisas. Naquele momento, justificou o prestativo sujeito, "ele estava embolado em um monte de papelada".



Comentário da Marcela, inspiradora deste post: "agora tu imagina, a chuva e as mortes são hoje, mas liga na sexta, tá?"

INVEJA BRANCA

Eu sempre quis responder assim a muitos e-mails/cartas de internautas/leitores.

MOUSE NÃO É PEDAL

Em noite de semiporre de caipirinha de saquê depois de um dia de proibição de postar no blog durante o expediente (ficar horas no Orkut ainda pode :-), teve amigo filosofando sobre o fato de que já comeu uma avó (quando ela ainda não o era, bem entendido) e outro dizendo que os e-mails que manda demoram a chegar porque ele é maconheiro. Mas nada, nada mesmo, superou a frase da companheira de ofício tradutório: "Tira o mouse do chão! Mouse não é pedal!"



Ah, qualquer hora eu explico. A frase é boa de qualquer maneira, nénão?

terça-feira, 1 de junho de 2004

A FILA ANDA

Entreguei mais um! Desta vez foi uma auto-ajuda maneira que me ensinou muito sobre física quântica e filosofia iogue. E eu ainda ganho pra ler isso! :-)



Amanhã, quer dizer, hoje, tomo um porre de saquê (ou cachaça, ainda não decidi) pra comemorar. Eu mereço. Ainda mais depois de 45 horas trabalhadas em três dias.